Otimizando a metanação

Como ela funciona com Bicar®Z

O princípio de funcionamento da metanação pode ser comparado ao do rúmen de uma vaca. A flora microbiana no sistema digestor decompõe a matéria orgânica em compostos (ácidos gordurosos voláteis, acetatos, H2 e CO2), os quais são então transformados em metano (CH4) e CO2. O processo de metanação é ótimo dentro de intervalos de temperatura e pH específicos (30-40 °C, pH 6,4-7,2). 

Como em vacas, a introdução de uma carga orgânica altamente fermentável e rica em energia para o biorreator leva a um aumento na produção de ácidos gordurosos, que o sistema digestor não pode metabolizar. Isso resulta em uma redução do pH e na inibição do processo completo de metanação, causando perdas econômicas para o operador. 

Utilizada como uma medida preventiva ou curativa em caso de acidose, a adição de Bicar®Z ao substrato estabiliza o pH no sistema digestor e assegura assim a produção de biogás.

methane-cow-PT 

Um estudo alemão destaca os benefícios do uso de Bicar®Z na metanação

Um estudo realizado pela Universidade de Rostock (Alemanha) tem demonstrado a capacidade de Bicar®Z de garantir e otimizar a operação de digestores, tanto de forma preventiva quanto curativa:

  • Quando continuamente adicionado ao metanizador, Bicar®Z aumenta a produção de biogás em até 1,8% e limita o impacto da mudança dos substratos na produção. 
  • Bicar®Z também pode ser utilizado de forma curativa no caso de acidose aguda, a fim de restabelecer as condições normais de pH. Graças a Bicar®Z, o operador pode, assim, reduzir o tempo necessário para restaurar o funcionamento normal no metanizador de 60 para 30 dias.